Desenhar e Pintar é uma Grande Terapia e todos podem conseguir

No século XX tivemos muitas descobertas fantásticas a respeito do funcionamento de nossa “máquina humana”, que tem uma estrutura complexa e ao mesmo tempo integralmente associada, quer seja para o bom funcionamento do conjunto, quer seja para a solução de qualquer necessidade interior.

Os orientais já compreendiam há milênios o homem como um todo e a medicina oriental nos mostra que cada parte de nós está conectada com a outra, formando um só mecanismo magnífico e equilibrado. Nessas descobertas inovadoras, está a de que a mente humana não guarda textos, ou indicações subjetivas, mas sim, acumula somente “IMAGENS”.

Estas imagens se transformam em códigos que se associam e formam as “lembranças” e as “referências”, quer sejam visuais, quer sejam sensoriais ou ainda plenamente racionais.

E finalmente, a ciência descobriu que a mente humana é “estética”, ou seja, seleciona estas imagens recebidas e as analisa, buscando sempre o equilíbrio da forma e da estrutura.

Alguns de nós já nascem com este sentido desenvolvido, e naturalmente desde a infância conseguem desenhar e pintar de uma forma diferenciada, com equilíbrio, proporção e em muitos casos com uma perspectiva invejável. Estes são apontados como seres especiais, que têm um “dom”, um “talento” único, que o faz desenhista ou pintor.

Já há outros que tem grande dificuldade em achar este equilíbrio e estas proporções. Vão fazer um rosto e deformam a imagem e a expressão da mesma. Vão fazer um corpo humano e não conseguem trabalhar as proporções e as formas adequadas. Vão pintar um desenho ou uma imagem e não conseguem harmonizar as cores. Para estes, a condenação é sempre definitiva: “- Você não dá para o desenho, tente outra coisa!”
Não é assim que acontece?

Porém, todos os estudiosos das Artes Plásticas já sabiam e a ciência comprovou, que qualquer indivíduo que seja treinado para alcançar a desejada “estética”, ou seja, o equilíbrio da forma e da harmonia pictórica, consegue gradativamente realizar seu sonho como desenhista ou pintor, de forma impressionante e crível, o que confirma a teoria de que todos conseguem desenhar e pintar se tiverem o estímulo certo para acionar os mecanismos da “máquina humana”, e assim, colocar abaixo a teoria de que só quem nasceu com facilidade para o desenho e a pintura, é que consegue ser um Artista Plástico consagrado.

O que não se deve deixar de lado, é o que chamamos de “vocação”, que vem do Latim, e que quer dizer “chamamento”. Se uma pessoa não sente um chamamento para qualquer atividade ou realização, mesmo que tenha facilidade para tal, tende a deixa-la a qualquer tempo, mas se gosta realmente e se sente atraído por pegar um papel em branco e lhe dar forma, vida e cor, então o restante depende apenas de trabalho, o que é variável de pessoa a pessoa.

O que não se pode fazer, é ensinar uma pessoa a desenhar ou pintar, a partir apenas de cópias, ou ainda ensinar de forma coletiva, e não verificar e acompanhar individualmente cada aspirante a desenhista, design ou pintor, nas suas particularidades e necessidades.

Na RECRIARTE, onde a área de DESENHO e ARTES VISUAIS é totalmente artesanal, o aluno desde a sua aula experimental é orientado e quando adentra no curso, é criado um verdadeiro “dossiê” de acompanhamento individual e artesanal, onde há o cruzamento de todas as aspirações do aluno, como também as estratégias personalizadas para o seu desenvolvimento dentro e fora da sala de aula.

E com o intuito de difundir por todo o Brasil e exterior a metodologia exclusiva de formação do Artista Visual, a RECRIARTE criou o exclusivo PROJETO CDR – CADERNOS DIDÁTICOS RECRIARTE, onde toda a teoria e prática que um aluno necessita, aula a aula, está impresso em Cadernos Didáticos, para todas as etapas de sua formação. Neles, os alunos encontram não só a orientação, mas um verdadeiro guia de realização que o aspirante a desenhista utilizará durante toda a sua trajetória no desenho, no design e na pintura.

Existem inúmeras possibilidades de conceituar o ensino do desenho e da pintura, para além da formação de um Artista previamente qualificado como “alguém que tem um dom”. A própria confirmação da importância da Arte como elemento do composição do humano, onde todos podem participar e realizar-se, inspirou a Arteterapia.

Assim, as Artes Visuais também podem ser definidas como um processo terapêutico decorrente da utilização de modalidades expressivas diversas, que servem a materialização de símbolos. Estas criações simbólicas expressam e representam níveis profundos e inconscientes da psique, configurando um documentário que permite o confronto, no nível da consciência, destas informações, propiciando “insights” e posterior transformação e expansão da estrutura psíquica, ou seja, terapia através da Arte.

O universo dominante em arteterapia é o da sensorialidade e da materialidade: texturas, cores, formas, volumes, linhas. E integrar-se e movimentar-se nesse universo requer a atenção e preparo que só uma Escola ou um Mestre voltado à formação didática conseguem realizar.

Se você sente esta vontade, ou nunca teve esta oportunidade, venha fazer uma aula experimental na RECRIARTE, sem qualquer custo, acompanhada artesanalmente por profissionais de alto gabarito, e com certeza terá grandes surpresas com o resultado. Se você está em locais distantes das nossas Unidades, é só entrar em contato que orientaremos você e enviaremos material para que você vivencie esta experiência.

E lembre-se: Não há barreiras para quem realmente se sente melhor, quando vivencia a Arte, seja da forma que for. Por isso, conte com a RECRIARTE para ajudar você a realizar o seu sonho.