Arte Infantil e Criatividade

Postado em 08 de julho de 2019

A criatividade nasce no ser humano como necessidade imperativa e vital de desenvolvimento, dentro de todas as nuances da realidade social, onde os valores culturais se interligam.

A sensibilidade de uma criança junto à herança biológica, assim como a influência da cultura de sua época, são fatores predominantes em seu desenvolvimento social.

Vários movimentos referentes à Arte e Educação nos EWA, a partir da Nova Bauhaus (American School of Design) Chicago, o ensino da Arte passou por significativa evolução, focalizando possibilidades estruturais e expressivas dos elementos do desenho. Foi a primeira manifestação de Arte-Educação nos Estados Unidos dedicadas não só a objetivos profissionais mas também ao desenvolvimento do homem como um todo.  Educação é o caminho que leva alguém a realizar as próprias descobertas alcançando sua expressão.

A afirmação e crença de que toda a pessoa tem em seu íntimo a capacidade para desenvolver seu talento, pois sua natureza é criativa, orientou esta Escola, no sentido de incentivar a observação, e despertar a fantasia e a criatividade.

O espírito de investigação, usando as ferramentas do desenho da  pintura, e dos elementos da Arte visual, cênica e musical, integrando-os para orientar-se no sentido de uma unidade no mundo cultural, foram desenvolvidos nessa época e cabem muito bem no tempo atual, embora tenhamos de ter cuidado com os extremos: de um lado o tecnicismo em exagero e de outro o laissez –faire sem muito sentido artístico.

Ainda na década de 1950, Joseph Albers, na Universidade de Yale EWA ,  deu novo significado para a articulação pedagógica da teoria aplicada à prática. baseando-se não só no sentimento mas na racionalidade no Ensino da Arte. Colocando a auto expressão unida à gramática visual, enfatizou que “A mente clara não pode interferir no verdadeiro sentimento que por muitas vezes é confundido com preconceitos, codificações e convenções.” Pensar com clareza, equilibrando o caos e a ordem, foi o seu legado à Arte e Educação, conferindo à gramática visual (regras de linguagem da arte visual) o valor da expressão!

A abordagem da questão da relação entre teoria e prática na Arte-Educação foram evoluindo para a integração automática entre elas; como exemplo: a escultura e o desenho como atividades práticas são estudados em conjunto com as leis da física e da matemática.

A pedagogia  Waldorf baseada na antroposofia integrando o desenvolvimento físico, espiritual, intelectual e artístico dos alunos, tem como objetivo desenvolver indivíduos livres, integrados socialmente, competentes e responsáveis.

No Método desenvolvido por Maria Montessori, o principal objetivo é criar condições para que a criança desenvolva seu potencial de aprendizagem, respeitando a individualidade de cada um, através de experiências individuais e coletivas, valorizando a diversidade que se aprende compreendendo a respeitar as emoções, sensações e sentimentos próprios e dos outros com quem convive.

A Arte-educação no Brasil ainda está longe de ser vista como atividade importante para a educação interdisciplinar e formação do indivíduo com padrão de excelência.

No Brasil na década de 1970 o ensino da Arte era obrigatório. Foram inseridos os cadernos de André Marmo com várias questões referentes a Arte e desenho. Ma a partir da década de 1980 a matéria de Arte-Educação se tornou opcional,  restringindo-se apenas a complementação pedagógica exigida pela lei.

A importância da Arte na educação ainda é vista de maneira preconceituosa para muitos. No Brasil, em 1948 foi criada a Escolinha de Arte no Brasil abrindo as primeiras possibilidades para o desenvolvimento da capacidade criadora em geral, mas no desenvolvimento do projeto, por vezes se confundiam criatividade e imaginação.

 

Outra questão fundamental para o ensino da Arte é sobre os processos intelectuais e emocionais não baseados apenas na forma, mas nas questões da percepção, criatividade , estética e sociológica levando o aprendiz a aprender a “ver”,analisar, especular e investigar.

Para a criança pequena, a representação é pouco importante; ela não está fazendo Arte, mas usando o desenho como ferramenta para explorar o mundo. A criança sempre nos surpreende por sua compreensão peculiar podendo demonstrar alto score de criatividade: A.J.Cropley, em seu livro Creativity, relatou uma experiência muito interessante: Em sala de aula o professor pediu que cada aluno fizesse o seu retrato; um aluno em particular desenvolveu uma imagem abstrata de grande valor plástico. O professor perguntou: Mas este é o seu retrato? E o aluno respondeu: O senhor não disse se era para desenhar por dentro ou por fora.”  Para motivar a criatividade, desde os primeiros passos na Arte, devemos levar em conta tanto os conteúdos afetivos quanto cognitivos; o ensino criativo é aquele que motiva a criatividade. O ambiente criativo de ensino desperta a Inteligência e a fantasia da criança proporcionando experiência ricas, repletas de entusiasmo e novas idéias! É estimulante!

O processo criativo na Arte uma vez despertado na criança de forma adequada; visando não somente valores estéticos mas exercícios de critérios de pensamentos criativos, serão aplicados por ela em todas as áreas de conhecimento!

Método dos processos mentais:

O método usado pelo professor, deve provocar estimulo, questionamentos, possibilidades. Robert Sanders no seu livro Humanitties in the Classroom mostra que os processos de pensamentos usados pelas crianças nas atividades artísticas. Nesse método o professor seleciona uma atividade artística:  exercitar, organização no espaço, enfatizar originalidade, capacidade de síntese flexibilidade, dinâmica compositiva e abstração.

A Arte é um meio de organizar experiências! Desenvolver os processos mentais dando capacidade de percepção, e imaginação, captando a realidade única ao sentir de cada indivíduo. O antagonismo entre as atividades de despertar a imaginação e ao mesmo tempo olhar a realidade exterior é aparente pois através da imaginação descobrimos o que  existe em nós; segundo Lukács esta é a forma mais dinâmica da descoberta do mundo exterior.

Cabe a nós da RecriArte, uma vez que trabalhamos com a formação e informação, através da Arte, estimular e desenvolver a criatividade, ampliando o seu conhecimento, transformando o mundo da criança, desde cedo com sua atitude, produzindo o novo a partir da pesquisa e criação, realizando-a portanto enquanto indivíduo!

Assim sendo, o desenvolvimento criativo, aliado ao conhecimento e manuseio das ferramentas do desenho e da pintura assim como das artes integradas, como a musica, o teatro e a expressão corporal, possibilitam a criança desenvolver a percepção consciente do mundo em que vive, integrando-se melhor à sociedade.

Ao vivenciar qualquer modalidade artística, seja visual, teatral ou musical, a criança tem possibilidade de desenvolver conteúdos humanos, permitindo o aprendizado que poderá ser o início de uma carreira promissora. Escolas do Amanhã, em alguns países de primeiro mundo deixam que o tablet entre em classe a partir do ensino médio!  A atividade sensorial, manual, o convívio com o humano em inrer- relacionamento entre alunos e alunos e alunos e professores segundo eminentes pedagogos e pesquisadores em educação e Arte educação é insubstituível! Podemos e devemos usar dos meios tecnológicos para complementar a forma de ensino mas o “recortar e colar” do Gugle é um perigo! O grau de esforço para assimilação real do conhecimento, o “pensar e entender” com trabalho e disciplina;  são questões indispensáveis para o aprendizado e desenvolvimento criativo!

A Escola Recriarte oferece a 40 anos, cursos infantis integrados e específicos em todas as áreas de artes.

Artes plásticas infantil.

Dividimos o curso em duas faixas etárias: -dos 5 aos 8 anos e -dos 7 aos 10 anos-

Na primeira faixa etária o aluno desenvolve seu potencial criativo primeiramente com o lado direito do cérebro: processo intuitivo, acompanhado gradativamente, sem influir em sua espontaneidade, e posteriormente por técnicas assimiladas pelo lado esquerdo do cérebro: processo racional.

As diversas modalidades artísticas acontecem de forma integrada às artes plásticas nas seguintes disciplinas: desenho, modelagem, escultura, colagem artística, confecção de máscaras, objetos lúdicos, usando materiais como sucatas, massas de modelar entre outros.

Para motivação criativa, o aluno recebe aulas de História da Arte adaptada ao mundo infantil, pelo método exclusivo da Recriarte, possibilitando assim a releitura das obras de grandes mestres, com exercícios de desenvolvimento criativo e desinibição e reconhecimento de espaço-tempo, através de interferências musicais, teatrais e corporais, identificando-se com a arte e expressão de forma natural.

Na segunda faixa etária, o aluno desenvolve o conteúdo acima em maior grau de complexidade, conforme seu know-how, que se torna possível, de acordo com a metodologia exclusiva da Recriarte onde as turmas reduzidas de no máximo 6 alunos possibilitam o atendimento individual, pois entendemos que o ser humano é único e portanto deve ser tratado como tal.

Temas atuais como inclusão social, folclore brasileiro, influências culturais atuais na área de música e esporte assim como novos mídias são abordados em nosso método de aprendizado como fontes de pesquisa e criação. O curso é acompanhado por cadernos didáticos onde a criança desenvolve os exercícios e fixa os conceitos aplicados.

A cada estágio de 72 horas a Escola Recriarte oferece ao aluno seu espaço cultural, onde apresenta individual ou coletivamente sua obras desenvolvidas durante o curso, com a qualidade da arte finalizada, digna de ser exposta e apreciada pelo público.

Nos 40 anos da Escola Recriarte, várias apresentações de sucesso, fizeram a realização de alunos, professores e familiares, a exposição dos nossos “pequenos grandes” artistas da Escola Recriarte, é sempre um sucesso!

Convidamos aos senhores pais que tragam seus filhos para vir fazer Arte na Escola Recriarte!

R. M. Catellani
Julho 2019